Domingo, 30 de Setembro de 2007

As Memórias de um Menino Soldado

[página 49]

 

"ouvi os disparos cada vez mais próximos, por isso avancei ainda mais para a vegetação. Uma bala atingiu uma árvore directamente por cima da minha cabeça e caiu no chão a meu lado. Estaquei e sustive a respiração. De onde me encontrava via as balas vermelhas atravessarem a floresta e desaparecerem na noite. Ouvia o meu coração e, como começara a ofegar, tapei o nariz para não fazer barulho".

 

 

 

 

[página 69]

 

" O mais difícil de estar na floresta era a solidão. A cada dia tornava-se mais insuportável. Quando estamos sozinhos pensamos demais, especialmente se não houver muito para fazer"

 

 

 

[página 90]

 

" De cada vez que as pessoas nos perseguem para tentar matar-nos, eu fecho os olhos e espero pela morte. Embora saiba que ainda estou vivo, sinto que cada vez que aceito a morte, uma parte de mim morre. Em breve estarei completamente morto e restará apenas o meu corpo vazio a caminhar ao vosso lado. Tornar-me-ei ainda mais calado do que já sou".

 

 

 

 

 

nota: o meu pedido de desculpas, a todas vocês que têm mantido o books a funcionar, pelo meu fraco contributo nos últimos tempos.


publicado por Firefly às 14:34
link do post | comentar | favorito
|
3 comentários:
De maryjo a 30 de Setembro de 2007 às 18:36
"quando estamos sozinhos pensamos demais". ui. como isso é verdade... pareceu-me um livro duro, com descrições impressionantes e que sem duvida tocam o coração.estas perdoada pela tua ausencia e aproveito por lamentar a minha um pouco tambem.
Toca a mexer o nosso cantinho!!!!=)



De eli a 30 de Setembro de 2007 às 19:54
volta, estás perdoada ;)
se continuares com o bom trabalho, nós desculpamos-te, mas só se te esforçares mais um pouco looool
o livro parece ser forte :)
beijinhos


De xary a 5 de Outubro de 2007 às 18:07
Não admira que muitos soldados enlouquecam..Não só pelo que presenciam, as mortes, o cheiro pútrido que não lhes parece sair das roupas e mais tarde do corpo, os pesadelos que ficam mesmo quando o cenário já é outro.

Excertos interessantes, firefly :)

Beijos


Comentar post

.mais sobre nós.

.pesquisar

 

.a firefly lê.

.auto-biografia de bernardo soares, livro do desassossego

.a joana lê.

.nineteen eighty-four, george orwell

.a marina lê.

.never let me go, kazuo ishiguro

.a maryjo lê.

.rio das flores, miguel sousa tavares

.a eli lê.

.cultura, dietrich schwanitz

.a sancie lê.

.little men, louisa may alcott

.a xary lê.

.the portable dorothy parker, dorothy parker

.links.

.Maio 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
29
30

31


.posts recentes.

. rio libertino

. Distance

. um outro amor

. The Sea

. Em busca do carneiro selv...

. Never Let Me Go

. os retornados: um amor nu...

. ...

. duas irmãs, um rei

. The Favorite Game

.tags

. todas as tags

.arquivos.

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

.tanta gente.

blogs SAPO

.subscrever feeds