Segunda-feira, 12 de Fevereiro de 2007

o japonês

muitos serão aqueles que não conhecem este livro, mas o autor conhecem, ou não fosse ele também o autor de um dos livros mais falados ultimamente: Kafka on the shore ou Kafka à beira-mar. quando soube deste autor (por causa do Kafka), fiz uma pesquisa sobre que livros ele tinha escrito e esta foi a capa que mais me chamou a atenção. não fazia ideia sobre o que falava, mas a capa.... comprei-o (compraram-mo), ainda esteve algum tempo ali na estante e quando decidi lê-lo apercebi-me que era um livro de "short-stories", o que nós em português podemos talvez chamar de crónicas. logo na primeira "short-story" percebi o porquê da capa. prendeu-me. a cada pedaço que lia, mais me prendia. quem já leu algo dele, já conhece o seu estilo, a sua forma de escrever. eu não conhecia por isso fiquei surpreendida pela positiva.

concerteza que quem lê este autor fica rendido. e é sempre bom lermos autores de diferentes paises. Haruki Murakami é Japonês e por isso são várias as referências ao Japão, Tokio e outras cidades.

como por vezes sou ao contrário das pessoas, só mais tarde lerei o Kafka on the shore. pelo que já ouvi, é bom e pertence ao mesmo estilo que Blind Willow, Sleeping Woman. um estilo de um autor que diz: "If writing novels is like planting a forest, then writing short stories is more like planting a garden."

para aguçar o gosto:

"No matter what they wish for, no matter how far they go, people can never be anything but themselves. That's all."

" 'But you had better think about it very carefully, my lovely young fairy, because I can grant you only one.' In the darkness somewhere, an old man wearing a withered-leaf-coloured tie raises a finger. 'Just one. You can't change your mind afterwards and take it back.' "

"'Clothes aren't important. The real problem is what's inside them.' "

" '...there are ways of dying that don't end in funerals. Types of death you can't smell.' "

" ' They tell us that the only thing we have to fear is fear itself, but O don't believe that, ' he said. Then, a moment later, he added: 'Oh, the fear is there, alright. It comes to us in many different forms, at different times, and overwhelms us. But the most frightening thing we can do at such times is to turn our backs on it, to close our eyes. For then we take the most precious thing inside us and surrender it to something else. In my case, that something was the wave.' "

 

para mais... leiam ;o)


publicado por eli às 19:48
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
|

.mais sobre nós.

.pesquisar

 

.a firefly lê.

.auto-biografia de bernardo soares, livro do desassossego

.a joana lê.

.nineteen eighty-four, george orwell

.a marina lê.

.never let me go, kazuo ishiguro

.a maryjo lê.

.rio das flores, miguel sousa tavares

.a eli lê.

.cultura, dietrich schwanitz

.a sancie lê.

.little men, louisa may alcott

.a xary lê.

.the portable dorothy parker, dorothy parker

.links.

.Maio 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
29
30

31


.posts recentes.

. o japonês

.tags

. todas as tags

.arquivos.

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

.tanta gente.

blogs SAPO

.subscrever feeds