Quarta-feira, 23 de Maio de 2007

A literatura da medicina

 

 

De Profundis, Valsa Lenta é o título que José Cardoso Pires dá a uma obra na qual ele descreveu todo o processo reflexo do AVC que abalou a sua vida durante mais de um ano. Desde o momento da perda de identidade,passando pela fase em que troca as palavras (sem as conseguir coordenar) até à fase de recuperação, Cardoso Pires conta como foi a sua vida no hospital, dentro de um quarto de paredes branca, onde o corredor (também todo ele branco) era a busca pela liberdade...

O Prefácio do Professor João Lobo Antunes vem dar ainda mais beleza a esta obra, que retrata uma doença a que todos só têm acesso em "manuscritos cientificos" mas que agora podem compreender nao só o que se passou la dentro (do cérebro), mas também na alma. Afinal, a literatura dá o poder ao escritor de escrever aquilo que sente.=)

É um bom livro, de leitura rápida e podemos até considerá-lo "pedagócico!LOL

 

Deixo umas quotes do prefácio e da obra:

"Devo dizer-lhe que é escassa a produção literária sobre a doença vascular cerebral. A razão é simples: é que ela seca a fonte de onde brota o pensamento, ou perturba o rio por onde ele se escoa, e assim é dificil, se não impossivel, explicar aos outros como se dissolve a memória, se suspende a fala, se embota a sensibilidade, se contém o gesto..." Prof. João Lobo Antunes, in Prefácio

 

"Foi numa manhã cinzenta que nunca mais esquecerei, as pessoas a falarem não sei de quê e eu a correr a sala com o olhar, o chão, as paredes, o enorme plátano por trás da varanda. Parei na chávena de chá e fiquei. sinto-me mal, nunca me senti assim, murmurei numa fria tranquilidade. Silêncio brusco. Eu e a chávena debaixo dos meus olhos. De repente viro-me para a minha mulher: "Como é que te chamas?" Pausa. "Eu? Edite." Nova pausa. " E tu?" "Parece que é Cardoso Pires", respondi então." pág 21

 

"Sem memória esvai-se o presente que simultaneamente já é morto. Perde-se a vida anterior. E a interior, bem entendido, porque sem referências do passado morrem os afectos e os laços sentimentais..."pág 25


publicado por maryjo às 18:34
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|

.mais sobre nós.

.pesquisar

 

.a firefly lê.

.auto-biografia de bernardo soares, livro do desassossego

.a joana lê.

.nineteen eighty-four, george orwell

.a marina lê.

.never let me go, kazuo ishiguro

.a maryjo lê.

.rio das flores, miguel sousa tavares

.a eli lê.

.cultura, dietrich schwanitz

.a sancie lê.

.little men, louisa may alcott

.a xary lê.

.the portable dorothy parker, dorothy parker

.links.

.Maio 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
29
30

31


.posts recentes.

. A literatura da medicina

.tags

. todas as tags

.arquivos.

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

.tanta gente.

blogs SAPO

.subscrever feeds