Terça-feira, 17 de Abril de 2007

The End - To The Lighthouse

 

 

 

E tempo de levantar o veu e mostrar o rosto das paginas feitas das palavras que escolhi para ilustrar a leitura deste livro.

Nao foi tao facil de ler como eu julgava.

Nao e daqueles livros que conduz.

E daqueles livros que obriga que seja o leitor a guiar-se a si mesmo.

A guiar-se pelos mil caminhos que parecem ser sugeridos ou insinuados.

Um livro que nos foge das maos quando mais o queremos agarrar.

Um livro que ensina licoes grandes atraves de palavras banais e pequeninas.

Um livro teimoso e ate rebelde pela forma como inverte aquilo que temos como certo.

Uma historia feita de momentos possiveis no mundo de qualquer um.

Uma historia feita de dias.

De instantes dentro dos dias.

De pensamentos que povoam esses instantes.

Uma historia que mostra.

Que mostra mais do que se quer ver, por vezes.

Que enaltece o que e trivial.

Que banaliza o que e grande e pesado.

Uma historia com um tempo que ensina licoes as personagens que vivem nele.

Que querem mandar nele apesar de nao poderem.

Que descobrem [quase] tarde demais a luz que realmente importa.

E, para mais descobrir, basta ler!

To the Lighthouse

by Mrs Woolf


publicado por Firefly às 21:44
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|
Quarta-feira, 11 de Abril de 2007

Time Passes (II)

while reading, one feels that several things are taking place. but the truth is that everything which is silently said (and thought) is referring to a single moment - Mrs Ramsay and her beloved son James by her side. it is her motherhood and her care that is contemplated by those who are living in her house.and the singularity of that moment would end. suddenly. silently.

quotations:

[Mr. Ramsay stumbling along a passage stretched his arms out one dark morning, but, Mrs Ramsay, having died rather suddenly the night before, he stretched his arms out. They remained empty]

Mrs Ramsay's things. Poor lady! She would never want them again. She was dead, they said; years ago, in London.

The house was left; the house was deserted. It was left like a shell on a sandhill to fill with dry salt grains now that life had left it. (...) keys were turned all over the house; the front door was banged; it was finished.

much should have been said but was kept in silence. Mrs Ramsay was dead.

 

well, we must wait for the future to show.


publicado por Firefly às 14:27
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|

.mais sobre nós.

.pesquisar

 

.a firefly lê.

.auto-biografia de bernardo soares, livro do desassossego

.a joana lê.

.nineteen eighty-four, george orwell

.a marina lê.

.never let me go, kazuo ishiguro

.a maryjo lê.

.rio das flores, miguel sousa tavares

.a eli lê.

.cultura, dietrich schwanitz

.a sancie lê.

.little men, louisa may alcott

.a xary lê.

.the portable dorothy parker, dorothy parker

.links.

.Maio 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
29
30

31


.posts recentes.

. The End - To The Lighthou...

. Time Passes (II)

.tags

. todas as tags

.arquivos.

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

.tanta gente.

blogs SAPO

.subscrever feeds